Aconteceu em RI: 1ª semana de agosto

Olá a todos!

Vocês viram o que aconteceu nesta última semana? Aqui vão três destaques 🙂

Eleições no Zimbábue

Depois da renúncia de Robert Mugabe, que deteve o poder no Zimbábue por 37 anos, o país passou novamente por um processo eleitoral tanto no parlamento quanto na presidência. Para a disputa de presidente se enfrentaram Emmerson Mnangagwa, do partido governista Zanu-PF, vice-presidente de Mugabe que o substituiu no cargo após sua saída e Nelson Chamisa do MDC e principal opositor da base governista.

Na segunda-feira (31) foi anunciado que o partido do governo tinha ganhado a maioria dos assentos na Assembleia Nacional do país, embora o resultado do cargo de presidente ainda não era conhecido.

zimbabue
Fonte: Al Jazeera

Na quarta (01) foram registrados alguns protestos da oposição na capital do país, Harare, que alegavam fraude nas eleições. O exército juntamente com a polícia contiveram os manifestantes que foram presos ou se entregaram à Justiça. Na quinta (02) foi confirmada a vitória de Mnangagwa na presidência do Zimbábue, embora observadores internacionais criticaram a demora do anúncio. A oposição, por sua vez, afirmou que irá contestar o resultado pela via judicial.

Kosovo e a proposta sérvia

Na terça (31), Hashim Thaci, presidente do Kosovo anunciou que negava qualquer possibilidade de aceitar a proposta vinda dos sérvios no que se refere a dividir o país baseado em uma demarcação étnica.

O Kosovo era uma região que até pouco tempo integrava o território da Sérvia, mas depois de um longo período de conflito se declarou independente em 2008. Contudo, a comunidade internacional ainda se divide em aceitar ou não sua soberania. Por um lado, EUA e a maioria dos membros da UE reconhecem o Kosovo como um país independente, o que ainda é negado, por exemplo, por Sérvia e Rússia.

A proposta sérvia foi defendida pelo governo do presidente Aleksandar Vucic como uma forma de resolver a disputa pelo território que perdura há anos, o que também poderia abrir caminho para que ambos fossem aceitos no processo de admissão da União Europeia.

Considerando que a parte norte kosovar é de maioria sérvia (apesar de que eles correspondem a apenas 5% do Kosovo que tem maioria étnica albanesa) esta região retornaria para controle da Sérvia enquanto o restante seria ainda de posse do Kosovo.

Contudo, a proposta teve uma rejeição de diferentes frentes, tanto do governo kosovar em Pristina que recusou a ideia de dividir seu território quanto de uma ala conservadora dos próprios sérvios que defendem a retomada total da região para o controle da Sérvia. Os líderes do Kosovo e Sérvia ainda devem se encontrar em Bruxelas para discutir esta questão mais a fundo.

Eleições no Mali

Ainda no domingo (29) foram realizadas as eleições presidenciais no Mali, onde 24 candidatos estavam na disputa do cargo. Dentre eles, os principais nomes eram o atual presidente do país que buscava a sua reeleição, Ibrahim Boubacar Keita, e o ex-ministro das finanças, Soumaila Cisse. As eleições foram acompanhadas de perto por observadores internacionais como da União Africana e da União Europeia, visto que o país passou por um golpe de estado recente.

mali
Fonte: Embaixada do Mali no Canadá

Em 2012, o Mali passou por um golpe de estado quando militares atacaram diversos locais da capital do país. A ação foi amplamente repudiada pela comunidade internacional e durou apenas alguns dias. Mesmo assim, o até então presidente aceitou renunciar o cargo. Também desde aquela época partes do território do Mali são controlados por grupos terroristas como a Al-Qaeda e o Estado Islâmico (EI). Depois do fracasso no golpe de 2012, o país passou por eleições em 2013 quando Keita conquistou a presidência.

Na quinta (02) foi anunciado que as eleições iriam para um segundo turno entre o atual presidente Keita que deteve aproximadamente 41% dos votos e Cisse que alcançou em torno de 17%. Dos 24 candidatos, 18 deles (incluindo Cisse) questionaram o resultado do primeiro turno, sendo apontados indícios de fraudes, além de alguns episódios de violência nos locais de votação, embora não foi constatado vítimas nos ataques. O segundo turno das eleições no Mali estão marcadas para ocorrer no domingo 12 de agosto.

 

Fontes:

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-45013728

https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2018/08/04/interna_internacional,978015/opositores-se-apresentam-a-justica-por-violencia-apos-eleicoes-no-zimb.shtml

https://www.reuters.com/article/us-kosovo-serbia/kosovo-president-rejects-serbian-idea-of-partition-on-ethnic-lines-idUSKBN1KL288

https://www.dw.com/en/mali-presidential-election-goes-to-second-round-runoff/a-44938597

https://www.dw.com/pt-002/elei%C3%A7%C3%B5es-no-mali-marcadas-por-viol%C3%AAncia/a-44874459

Anúncios

Deixe uma resposta