Aconteceu em RI: 5ª semana de agosto

Esta última semana contou com vários acontecimentos importantes de estarmos atentos! Vamos dar uma olhada em alguns deles?

Relatório da ONU para Myanmar e Iêmen apontam crimes de guerra

Nesta última semana foram liberados dois relatórios da ONU, um apresentando o resultado das investigações para a crise sofrida pela minoria rohingya em Myanmar e o outro sobre os acontecimentos na guerra do Iêmen.

Na segunda (27), a Missão Internacional Independente de Apuração dos Fatos em Myanmar denunciou uma série de violações aos direitos humanos da minoria rohingya perpetradas por militares do país conhecidos como Tatmadaw. Dentre as acusações estão crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio. O relatório foi apresentado no Conselho de Segurança da ONU e o grupo indicou a necessidade de que o caso seja passado para o Tribunal Penal Internacional (TPI). Além disso, o grupo recomendou que seja criado um mecanismo imparcial de preservação das provas destes atos cometidos contra os rohingyas, até que seja estabelecido um tribunal próprio no TPI. Os militares de Myanmar, por sua  vez, negaram as acusações e disseram que vão abrir sua própria investigação independente.

Já na terça (28), um outro relatório da ONU se focou na crise do Iêmen, país que sofre com uma guerra civil desde 2011 e cujo conflito aumentou ainda mais em 2015. De acordo com a análise do grupo de investigadores, há indícios suficientes para acreditar que crimes de guerra foram cometidos por ambos os lados do conflito, seja pelas forças da coalizão vindas da Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos (EAU) quanto as forças de oposição houthis que lutam contra esta coalizão. Ambos os grupos foram acusados de atacar indiscriminadamente a população civil seja por bombardeios ou bloqueio de alimentos e medicamentos que resultaram na maior crise humanitária atual.

Novo acordo EUA-México surge como potencial substituto ao NAFTA

Na segunda (27), EUA e México anunciaram que conseguiram chegar a um acordo comercial entre ambos, o que deu uma maior tranquilidade aos mercados da região em comparação ao impasse que se observava até então a respeito do futuro do Tratado de Livre Comércio das Américas (NAFTA). Nestes novos termos acordados, um destaque especial ficou na discussão da indústria automobilística, um dos pontos mais criticados por Trump que alegava prejuízo dos trabalhadores estadounidenses em comparação aos mexicanos.

3D Rendering of North American Free Trade Agreement NAFTA Member
Fonte: Autoblog

Pelas regras novas, 75% das peças dos carros devem ser elaboradas na zona do NAFTA, e mais especificamente entre EUA e México, aumentando do 62,5% que constavam até então. Além disso, 40% a 45% do conteúdo do produto deverá ser realizado por trabalhadores que ganhem no mínimo US$ 16 dólares por hora. Acredita-se que estas medidas irão deslocar a produção de parte das peças da China para o México, mas que também várias partes serão realocadas do México para os EUA, considerando as novas especificações salariais. Por outro lado, também espera-se que a medida aumente o valor dos salários dos mexicanos.

As empresas automobilísticas, por sua vez, se dividiram entre elogiar o presente acordo e se preocuparem com ele, visto que algumas alegaram não saberem se vão conseguir se adequar às novas determinações salariais.

Já o Canadá ainda não decidiu se aceita entrar neste novo acordo ou não. O governo dos EUA havia estipulado um prazo até sexta (31) para o Canadá apresentar sua escolha, porém as negociações ainda não avançaram. Durante esta semana, Trump ameaçou pressionar o Canadá pela imposição de tarifas na indústria automobilística do país e ainda afirmou que não precisaria dos canadenses em uma nova versão do NAFTA. Porém, a ausência do Canadá é vista com preocupação, visto que a cadeia de suprimentos (supply chains) de diversas empresas dependem da integração dos três membros.

O governo canadense afirma se opor ao novo acordo principalmente por causa da incerteza de seus termos e porque o mesmo exclui a existência de um painel para resolução de controvérsias entre os seus membros.

Protestos xenófobos causam preocupação na Alemanha

No sábado (01), foram registrados protestos organizados por grupos de extrema-direita na cidade de Chemnitz, no leste da Alemanha. Contando com aproximadamente 8 mil pessoas, os manifestantes empunhavam cartazes e protestavam contra a vinda de imigrantes na Alemanha depois que um alemão foi morto por dois estrangeiros. Na mesma ocasião, um contraprotesto ocorreu em oposição ao primeiro, no qual as pessoas denunciaram a crescente xenofobia e a violência contra estrangeiros em geral.

BBC
Fonte: BBC

Ainda foram registrados um total de 18 feridos entre eles 3 policiais e um afegão que foi atacado algumas horas depois do protesto. Ao longo das últimas manifestações deste tipo que ocorreram na cidade, já foram apontados outros casos em que pessoas que aparentavam ser estrangeiras eram perseguidas e atacadas por extremistas. Nesta última vez, até mesmo alemães que participaram do contraprotesto foram alvos de ataques dos manifestantes extremistas.

A atual onda de protestos gerou preocupação no governo central e tem se mostrado como uma tendência cada vez maior ao redor da Europa.

Crise econômica na Argentina

A Argentina está passando por dificuldades para estabilizar sua economia. Recentemente, a crise cambial do país atingiu um novo patamar e a escalada do dólar frente ao peso argentino fez com que a moeda do país se desvalorizasse a ponto de finalizar a última quinta-feira (30) sendo cotado a 39,87 pesos/dólar, representando uma queda de aproximadamente 13,5%. Até o momento, o peso acumula uma perda anual em torno de 53%.

poca negócios
Fonte: Época Negócios

Dada a severidade da situação, o Banco Central argentino elevou as taxas de juros de 45% para 60% ao ano como uma maneira de tentar segurar a crise cambial que o país está passando. Estas alterações ocorreram um dia após o presidente da Argentina, Maurício Macri, solicitar ao Fundo Monetário Internacional (FMI) que a organização antecipasse a transferência de fundos para o país como parte do acordo firmado em junho do ano passado, o que em contrapartida exigia uma política fiscal e monetária mais rígida.

Os impactos da crise argentina podem vir a ser sentidos em outros países como no Brasil em um futuro próximo. O principal afetado será provavelmente a indústria automobilística, visto que 60% dos carros comprados na Argentina são produzidos no Brasil, mas um efeito dominó entre os mercados emergentes também é outra possibilidade.

Fim do financiamento dos EUA aos refugiados palestinos

Nesta última semana, o governo dos EUA anunciou que irá acabar com o financiamento que faz à agência da ONU para os refugiados palestinos (UNRWA). A fatia de auxílio do país correspondia a aproximadamente 30% do orçamento da organização, algo que gerava em torno de US$ 300 milhões. A UNRWA está destinada a realizar projetos sociais de auxílio aos palestinos em diversas áreas da região como Jordânia, Síria, Líbano, Cisjordânia e Faixa de Gaza.

Al Bawaba
Fonte: Al Bawaba

Em janeiro, a administração de Trump liberou US$ 60 milhões, mas disse que os EUA não iriam mais arcar com o financiamento realizado até então, o que chamou de uma parcela desproporcional e ainda afirmou que a resposta da comunidade internacional não foi suficiente.

A UNRWA, por sua vez, criticou a decisão de cancelar o financiamento e defendeu que a organização conseguiu entregar resultados significativos para auxílio dos palestinos, como um sistema educacional elogiado inclusive pelo Banco Mundial.

 

Fontes:

https://nacoesunidas.org/relatorio-da-onu-indica-possiveis-crimes-de-guerra-no-iemen/

https://news.un.org/pt/story/2018/08/1635522

http://www.jb.com.br/_conteudo/internacional/2018/08/1509-mianmar-rejeita-relatorio-da-onu-sobre-crimes-contra-rohingyas.html

https://www.reuters.com/article/us-trade-nafta/exclusive-u-s-mexico-reach-nafta-deal-talks-with-canada-to-start-immediately-idUSKCN1LC1E7?feedType=RSS&

https://globalnews.ca/news/4413379/u-s-mexico-new-trade-deal-canada/

https://www.dw.com/pt-br/protestos-contra-estrangeiros-em-chemnitz-deixam-18-feridos/a-45327568

https://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Internacional/2018/9/660291/EUA-encerram-financiamento-a-agencia-da-ONU-para-refugiados-palestinos

https://oglobo.globo.com/economia/peso-argentino-despenca-1352-bc-eleva-taxa-de-juros-para-60-23024124

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,argentina-sobe-juros-de-45-para-60-ao-ano,70002480225

Anúncios

Deixe uma resposta