Aconteceu em RI: 1ª semana de dezembro

Uma rápida olhada em alguns dos principais acontecimentos desta última semana 🙂

É iniciada a COP 24 na Polônia

Na segunda (03), teve início na cidade de Katowice (Polônia) a Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a Mudança Climática de 2018, conhecida como COP 24. O encontro deste ano está sendo visto como o mais importante para debater a mudança climática depois da COP 21 em 2015 quando foi acordado o Acordo do Clima de Paris.

deustche welle
Fonte: Deutsche Welle

Para este ano, o que está em jogo é que os representantes dos países participantes devem, em tese, aprovar até o final da Conferência (que vai até 14 de dezembro) um cronograma de trabalho com medidas práticas que serão adotadas para que seja alcançado o que foi estabelecido pelo Acordo de Paris.

Uma das maiores discussões para este encontro e que divide muitas delegações é se os países devem adotar um livro de normas comuns a todos e que alguns deles poderão ter certas concessões (defendido majoritariamente pelos desenvolvidos) ou se seria adotada uma postura de diferenciação dependendo da situação específica de cada país bem como das regras que ele seria capaz de se comprometer (argumento principal dos países em desenvolvimento).

Além deste ponto, outras questões em pauta serão o financiamento do clima (financiamento para atividades voltadas para enfrentar a mudança climática) e o debate sobre a adaptação, isto é, como os países podem se adaptar (política, econômica e socialmente) com a implementação das estratégias direcionadas ao combate da mudança climática. Como a primeira semana da COP é reservado principalmente em debates técnicos, as negociações com as delegações propriamente ditas acontecerá a partir da próxima semana.

Canadá prende CFO da Huawei

Softpedia news
Fonte: Softpedia News

A CFO (Chief Financial Officer) Meng Wanzhou da Huawei, empresa multinacional chinesa de equipamentos para redes e telecomunicações chinesa, foi presa no Canadá depois de um pedido feito pelo governo dos EUA. Segundo as autoridades americanas, Wanzhou que é filha do fundador da empresa, estaria violando as sanções comerciais que os EUA voltaram a impor contra o Irã.

Nos últimos meses, os EUA aplicaram novas sanções contra o Irã e também disseran que quem mantivesse negócios com os iranianos correria o risco de enfrentar represálias dos EUA. Neste caso, poucos detalhes foram divulgados, mas a Huawei fez uma declaração em que afirma não ter conhecimento de nenhuma irregularidade perpetrada pela CFO. Existe o temor de que a recente medida pode prejudicar ainda mais as relações entre EUA e China, estremecida com a guerra de tarifas que se observou ao longo do ano.

Lados opostos da guerra no Iêmen negociam busca de paz na Suécia

Nesta última semana, representantes do governo iemenita do presidente Hadi e rebeldes Houthis se reuniram na cidade de Rimbo (Suécia) pela primeira vez depois da última tentativa de negociações há dois anos atrás com o intuito de buscar novamente um acordo para a guerra civil no Iêmen que já dura 3 anos e caracteriza-se como a pior crise humanitária atual causada pelo ser humano.

Press TV
Fonte: Press TV

As conversas até agora estão se focando em uma troca de prisioneiros entre ambos os lados do conflito. Já a situação do porto de Hodeida, por sua vez, não chegou a um entendimento (este porto é controlado pelos Houthis, sendo que a região em seu entorno é constantemente alvo de confrontos entre o grupo e a coalizão liderada pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos, algo que gera preocupação da comunidade internacional considerando que este porto é a única passagem para ajuda humanitária no país que já passa por grandes dificuldades).

As negociações vão continuar ao longo das próximas semanas e segundo o enviado especial da ONU para este conflito, Martin Griffiths, o objetivo desta nova rodada à princípio não é chegar a uma solução para a guerra do país, mas sim conseguir construir as pontes de diálogos necessárias para então avançar e chegar neste propósito.

Qatar anuncia saída da OPEP

Na segunda (03), o Qatar anunciou que o país se desligaria da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) a partir de 2019. De acordo com o Ministro da Energia do país, Saad Sherida al-Kaabi, a saída da organização não foi tomada por razões políticas, mas econômicas, visto que o Qatar quer concentrar seus esforços na produção de gás natural.

O país entrou na organização em 1961 e se tornará o primeiro do Oriente Médio a deixa-la (antes do Qatar, países como Gabão e Indonésia tinham se retirado da organização, mas retornaram como membros recentemente).

QATAR-FRANCE-ECONOMY-OIL
Fonte: The Malaysian Reserve

De fato, a extração de gás natural para o Qatar é algo muito mais significativo economicamente do que a produção de petróleo, que representa somente 2% da produção da OPEC. Sendo assim, o mais provável é que a saída do Qatar não gere consequências tão prejudiciais para a organização.

Por outro lado, é inegável que esta decisão tomada em um contexto de bloqueio feito pela Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos contra o Qatar levantou suspeitas de que o país está procurando se distanciar de uma organização que é quase completamente dirigida pelos sauditas, maiores exportadores de petróleo do mundo, para poderem assim se focar melhor no comércio de gás natural.

Novos protestos dos coletes amarelos são registrados na França

Desde o meio de novembro a França vem registrando uma série de protestos, principalmente contra o aumento dos combustíveis como gasolina e diesel, mas que também se somaram a outras insatisfações como o valor do salário mínimo ou recentes medidas de austeridades implementadas pelo governo de Emmanuel Macron como a reforma trabalhista de setembro de 2017.

o globo
Fonte: O Globo

Nesta última semana, o movimento dos coletes amarelos (item obrigatório para os motoristas na França) realizou novos protestos tanto em Paris quanto em outras partes do país, muitos deles que acabaram de maneira violenta com registro de confrontos entre manifestantes e policiais, o que resultou em feridos de ambos os lados além do registro de alguns atos de vandalismo como pichações no Arco do Triunfo, importante monumento francês.

Vale ressaltar que esta onda de protestos está sendo considerada a mais violenta dos últimos anos (desde 2005 não se via manifestações tão intensas), o que foi capaz de unir inclusive movimentos da esquerda e da direita francesa, algo que demonstra claramente o nível de rejeição que Macron está enfrentando atualmente. Devido às atuais circunstâncias, o governo francês está considerando a possibilidade de decretar estado de emergência no país.

Fontes:

https://edition.cnn.com/2018/12/07/europe/cop24-leaders-climate-rules/index.html

https://exame.abril.com.br/negocios/cfo-da-huawei-e-presa-por-suspeita-de-violar-sancoes-do-ira/

https://www.aljazeera.com/news/2018/12/yemen-warring-sides-meet-face-face-sweden-peace-talks-181209123459715.html

https://www.washingtonpost.com/news/monkey-cage/wp/2018/12/06/qatar-will-leave-opec-heres-what-this-means/?utm_term=.87601db02490

http://medimagem.com.br/noticias/entenda-os-protestos-dos-coletes-amarelos-que-desafiam-o-governo-na-franca,47280

Anúncios

Aconteceu em RI: 4ª semana de novembro

Muitos acontecimentos importantes ocorreram nesta semana! Perdeu algum deles? Então confiram os principais destaques 🙂

União Europeia e Reino Unido concordam com texto final do Brexit

No domingo (25) depois de meses de negociação, os representantes da União Europeia e Reino Unido chegaram a um acordo final para a saída dos britânicos do bloco europeu. Dentre os principais pontos no texto destaca-se:

  1. As garantias dos direitos dos cidadãos europeus no Reino Unido assim como dos britânicos que estão em outras partes da Europa
  2. A questão em torno da fronteira com a Irlanda para que se evite uma volta das fiscalizações e trâmites burocráticos entre o Reino Unido e a Irlanda – ainda membro da UE – a qual seria prejudicada por ter fronteiras somente com os britânicos e não com outros membros do bloco
  3. A controvérsia sobre o território britânico de Gibraltar (reivindicado pela Espanha, sendo que foi determinado que qualquer assunto em torno deste ponto será tratado diretamente com Madrid)
  4. Além da soma de 39 bilhões de libras que o Reino Unido deverá pagar ao bloco como reparação da saída – entre outros pontos
Toda matéria
Fonte: Toda Matéria

O texto aprovado deverá agora ser analisado internamente pelos parlamentos britânico e europeu antes de entrar de fato em vigor. Devido ao enorme criticismo do acordo firmado pela primeira-ministra britânica Theresa May em seu próprio país (seja pelos que são contra o Brexit ou por aqueles que acreditam que este acordo é “fraco” demais), é possível que haja grandes dificuldades para que este texto seja aprovado no Reino Unido.

Nova escalada de tensão entre Rússia e Ucrânia

No domingo (25), uma nova onda de tensão entre Rússia e Ucrânia se iniciou quando navios russos atacaram e capturaram embarcações da marinha ucranianas próximas da Crimeia (ferindo 3 pessoas do lado ucraniano).

bbc
Fonte: BBC

Segundo os ucranianos, os seus navios estavam passando pelo estreito de Kerch, perto da região da Crimeia – único acesso do Mar de Azov e do porto de Mariupol no leste da Ucrânia (importante ponto para a exportação ucraniana) – com o Mar Negro. Além disso, afirmaram que as autoridades russas tinham sido informadas de suas atividades na área. Já a Rússia, por sua vez, negou que tenha recebido qualquer alerta e afirmou que a ação foi causada porque os navios ucranianos estavam ilegalmente em suas águas.

O recente episódio gerou uma nova preocupação na região que está em crise desde que a Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014. Ao longo da semana, o presidente ucraniano Petro Poroshenko anunciou a instauração de uma lei marcial no país até 26 de dezembro.

Forças de segurança dos EUA entram em confronto com imigrantes

Também no domingo (25), um confronto entre forças de segurança dos EUA e imigrantes foi registrado na fronteira México-EUA no posto de entrada de San Ysidro localizado na cidade mexicana de Tijuana e próximo da fronteira com a Califórnia.

The New York Times
Fonte: The New York Times

Aproximadamente um grupo de 500 imigrantes provenientes das caravanas que se formaram nos países da América Central tentaram passar para o outro lado da fronteira quando foram impedidos pela Patrulha de Fronteira dos EUA que lançaram bombas de gás lacrimogêneo para dispersá-los. Segundo a Secretária de Segurança do Interior dos EUA, Kirstjen Nielsen, alguns dos imigrantes também lançaram projéteis na direção dos guardas.

Já pelo lado mexicano, o Ministro do Interior do país afirmou que aqueles que tentaram cruzar a fronteira ilegalmente serão presos e deportados para o seu país de origem. No próprio domingo, 39 pessoas já tinham sido detidas.

O atual desdobramento representa o ápice das discussões sobre a caravana de imigrantes da América Central que vinha sendo debatida tanto por autoridades mexicanas quanto americanas, aumentando ainda mais o debate sobre a forma como ambos os países estão lidando com a atual crise migratória.

Maduro aceita ajuda humanitária pela primeira vez

IRIN news
Fonte: IRIN news

Depois de negar repetidas vezes que a Venezuela se encontrava em um estado de emergência, Maduro cedeu da sua posição inicial e irá permitir a entrada de ajuda humanitária da ONU no país pela primeira vez. Dentre os seus argumentos, o governo venezuelano afirmava que o país não passava por uma crise humanitária e que tal narrativa era uma invenção para justificar uma intervenção estrangeira ao país.

Agora com a mudança, agências internacionais poderão entrar no país para cuidar diretamente da população que lá se encontra, ficando também responsáveis pelo gerenciamento do financiamento internacional ao país. Acredita-se que o pacote de ajuda inicial da ONU à Venezuela será em torno de US$ 9,2 milhões.

Novos desdobramentos da guerra da Síria: ofensiva do EI e ataque químico

Dawn
Fonte: Dawn

Uma ofensiva de três dias do Estado Islâmico (EI) no leste da Síria resultou em 200 mortos entre civis e militantes curdos apoiados pelos EUA. A região de Deir Ezzor é um dos últimos redutos do EI no país e apesar das constantes investidas das Forças Democráticas da Síria (SDF) neste local, o grupo terrorista ainda se mantém na região e lança contra-ataques frequentes como o observado nesta semana. Contudo, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, o incidente desta última semana resultou no maior número de vítimas das SDF, considerando os demais ataques do EI.

Além deste caso, foi apontado nesta semana também que um ataque com armas químicas teria sido realizado em Aleppo no norte da Síria, afetando em torno de 100 pessoas, porém a autoria do atentado não pode ser identificada. Enquanto o regime sírio e a Rússia acusam grupos terroristas pelo feito, a oposição síria afirma que tal ato foi perpetrado pelo próprio regime, visto que esta região está totalmente sob o controle do governo de Assad.

Encontro do G20 em Buenos Aires

Entre sexta (30) e sábado (01), os líderes das principais economias do mundo se encontraram em Buenos Aires na Argentina para a reunião anual do grupo em que foram discutidos os rumos da economia mundial, mas também outros temas polêmicos que ocupam a agenda internacional. Dentre eles, os principais destaques foram:

Sputnik Brasil
Fonte: Sputnik Brasil
  1. EUA e China anunciam trégua na guerra de tarifas que se observava até então entre eles (embora isso não signifique que tais medidas não voltem futuramente)
  2. Assinatura do acordo entre EUA-México-Canadá (USMCA) que irá substituir o atual NAFTA
  3. Presença do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, gerou protestos por causa da morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi
  4. Putin justifica ação tomada por militares russos na Crimeia contra navios ucranianos

Ao final da cúpula, os líderes reafirmaram seu compromisso para reforçar a segurança financeira global, destacando a importância do comércio internacional e dos investimentos para um crescimento global sustentável.  Por fim, uma cerimônia foi realizada para oficializar a troca de presidência do grupo da Argentina para o Japão que sediará o próximo evento em 2019.

Fontes:

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/11/25/lideres-da-uniao-europeia-aprovam-acordo-sobre-brexit-em-bruxelas.ghtml

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-46350417

https://edition.cnn.com/2018/11/25/us/san-ysidro-port-of-entry-closed/index.html

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2018/11/27/interna_mundo,721720/maduro-recua-e-aceita-ajuda-humanitaria-oferecida-pela-onu.shtml

https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2018/11/26/interna_internacional,1008196/ataque-do-estado-islamico-deixa-mais-de-200-mortos-na-siria.shtml

https://edition.cnn.com/2018/11/25/middleeast/syria-gas-attacks/index.html

https://www.aljazeera.com/news/2018/11/g20-summit-2018-latest-updates-181126191302549.html

Aconteceu em RI: 3ª semana de novembro

Uma rápida olhada em alguns dos acontecimentos da última semana:

Rebeldes houthis e governo iemenita concordam em começar a discutir negociações de paz (mas conflitos continuam)

Project on Middle East Democracy
Fonte: AFP

Na segunda (19) tanto os rebeldes houthis quanto o governo iemenita concordaram em dialogar e tentar estabelecer mais uma vez negociações para a paz na guerra civil do Iêmen que já dura 3 anos e foi responsável por milhares de mortes bem como pela maior crise humanitária atual. Apesar disto, confrontos foram registrados na cidade portuária de Hodeida tanto da coligação liderada pela Arábia Saudita e apoiadora do governo local quanto dos rebeldes houthis.

Apesar dos confrontos permanecerem mesmo com os apelos da comunidade internacional, movimentações estão sendo realizadas para que as negociações de paz realmente se concretizem, seja por meio do emissário da ONU para o Iêmen, Martin Griffiths, que viajou ao país para conversar com ambas as partes do conflito ou pela resolução apresentada pelo Reino Unido no Conselho de Segurança para estabelecer uma trégua na cidade de Hodeida assim como estabelecer um corredor para ajuda humanitária sem qualquer intervenção.

Disputa internacional pela presidência da Interpol

Na quarta (21), o sul-coreano Kim Jong-yang assumiu o cargo de presidente da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) por um mandato até 2020. Kim ocupava a presidência do órgão de forma interina desde outubro deste ano, visto que o chinês Meng Hongweim, até então ocupante do posto, sumiu misteriosamente quando viajou para a China, sendo que apenas uma carta de renúncia foi enviada à Interpol, mas o paradeiro de Meng permanece desconhecido. Segundo autoridades chinesas, Meng era alvo de uma investigação interna conduzida pelo governo de seu país.

BBC
Fonte: BBC

Contudo o fato mais controverso desta história foi a possibilidade levantada de que o russo, Alexander Prokopchuk, ex-integrante do Ministério do Interior da Rússia tinha grandes chances de assumir o cargo de presidente da Interpol, algo que desagradou muitos dentro da comunidade internacional que se posicionaram contra (como britânicos e americanos), por causa das recentes polêmicas envolvendo o país e principalmente o governo de Vladimir Putin.

A Rússia, por sua vez, acusou aqueles que defendiam um boicote à candidatura de Prokopchuk de ser uma ingerência na condução eleitoral de uma organização internacional. Apesar da controvérsia levantada, o cargo no final foi dado a Kim Jong-yang.

Cúpula da APEC termina em impasse devido a disputa China x EUA

No domingo (18), a cúpula da APEC (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico) na Papua Nova-Guiné terminou em um impasse devido às diferentes posições não resolvidas entre China e EUA, principalmente por causa da disputa comercial dos dois que vem se arrastando desde o começo do ano, assim como a disputa entre ambos pela influência na região.

The Epoche Times
Fonte: The Epoch Times

Tradicionalmente, a organização costuma lançar um comunicado conjunto a respeito do encontro, mas dois parágrafos da declaração foram recusados pela delegação chinesa. Apesar de não ter sido dados detalhes sobre o conteúdo, foi informado que o assunto tratado nestes dois pontos era de natureza comercial.

A cúpula da APEC demonstrou claramente o grande embate que se percebe atualmente nas relações bilaterais entre China e EUA bem como suas consequências para o andamento das políticas aplicadas a nível internacional. Ainda neste encontro, o presidente chinês Xi Jinping defendeu que uma guerra comercial não tornará nenhum dos lados vencedor, enquanto o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, afirmou que novas tarifas estão previstas para serem impostas à China caso o país não mude a postura de sua política comercial.

Atentado no consulado da China em Karachi

Na sexta (23), um atentado terrorista focado no Consulado da China aconteceu em Karachi, a maior cidade do Paquistão. Os três perpetradores do atentado atiraram e jogaram granadas em direção ao consulado, porém não conseguiram entrar no prédio e foram mortos pelas forças de segurança paquistanesas. Além deles, dois policiais e dois civis paquistaneses morreram. Nenhum cidadão chinês foi ferido neste ataque.

The Guardian Nigeria
Fonte: The Guardian Nigeria

Logo após o atentado, o Exército de Libertação Baluchi, proveniente da província do Baluchistão no sudoeste paquistanês e que luta pela sua independência, reivindicou a autoria do ataque. De acordo com comunicado, a ação foi tomada tendo em vista a atuação crescente da China no Baluchistão. Isto se deve por causa do projeto multimilionário conhecido como “Corredor Econômico China-Paquistão” (CPEC) iniciado em 2015 e que prevê a construção de um corredor comercial entre os dois países (passando no lado paquistanês justamente nesta província), fazendo com que desse modo a China tenha acesso ao mar Arábico por meio da costa paquistanesa.

De acordo com um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, o país condenou veementemente qualquer ataque contra missões diplomáticas, elogiou a ação rápida das forças paquistanesas, transmitindo condolências às vítimas e por fim afirmou que tal ato não impediria a continuação do projeto CPEC.

 

Fontes:

https://www.dn.pt/lusa/interior/rebeldes-e-governo-do-iemen-declaram-que-aceitam-comecar-negociacoes-de-paz-10203017.html

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/11/21/sul-coreano-kim-jong-yang-e-eleito-presidente-da-interpol.ghtml

https://www.efe.com/efe/brasil/sociedade/disputa-entre-china-e-eua-quebra-consenso-no-apec/50000246-3816674

https://www.efe.com/efe/brasil/mundo/china-condena-ataque-a-seu-consulado-em-karachi/50000243-3821991

 

Aconteceu em RI: 2ª semana de novembro

Aconteceu em RI: 2ª semana de novembro

Trégua entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza depois de confrontos

As forças israelenses e do Hamas concordaram na terça (13) a estabelecer um cessar-fogo na região da Faixa de Gaza após a escalada da violência entre ambos nos últimos dias ter resultado em 8 mortos e 70 feridos. Os bombardeios israelenses e o lançamento de mísseis palestinos aumentaram a violência e a tensão na região até os níveis registrados em 2014 quando uma guerra de 50 dias gerou um saldo de 2000 mortos.

Los Angeles Times
Fonte: Los Angeles Times

Desde março percebe-se um crescente aumento na tensão entre ambos desde que protestos foram realizados em Gaza devido às restrições impostas aos palestinos e que na época resultou em mais de 200 palestinos mortos. ONU e Egito vinham intermediando um diálogo entre as partes que acabaram por estabelecer o cessar-fogo essa semana.

Porém, nem todos concordaram com a ação como o então Ministro da Defesa israelense, Avigdor Lieberman, que renunciou ao cargo na quarta (14) por discordar da medida tomada pelo governo de Netanyahu, acreditando ser um erro aceitar o cessar-fogo.

Suprema Corte do Sri Lanka anula decisão presidencial

Em continuidade à recente crise política que se observa no Sri Lanka, a Suprema Corte do país decidiu por anular a decisão do presidente Maithripala Sirisena de dissolver o parlamento assim como ordenou a suspensão dos preparativos que estavam sendo planejados para eleições antecipadas.

The Hindu
Fonte: The Hindu

A atual reviravolta de eventos se dá em meio a um cenário em que Sirisena, além de dissolver o parlamento, também destituiu o então primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe e nomeou em seu lugar Mahinda Rajapaksa. É afirmado que este último mantém fortes laços com a China, algo que preocupa também a Índia que vê o Sri Lanka dentro da sua zona de influência.

Tanto Wickremesinghe quanto Rajapaksa defendem o seu direito de exercer a função de primeiro-ministro e contam com seus apoiadores, já sendo inclusive registrado casos de violência entre estes grupos contrários.

União Europeia e Reino Unido chegam a acordo sobre o Brexit

Na terça (13), depois de meses de negociação, representantes da União Europeia e do Reino Unido chegaram a um acordo sobre o texto rascunho a tratar da saída do Reino Unido do bloco – o chamado Brexit.

MPR news
Fonte: MPR News

Dentre os pontos mais debatidos e polêmicos estavam a fronteira entre Irlanda do Norte (pertencente ao Reino Unido) e a Irlanda (ainda membro da UE), assim como a garantia de direitos dos cidadãos europeus que estão no Reino Unido e a quantia a ser paga pelo país à UE pela separação. O rascunho aprovado foi então levado pela primeira-ministra Theresa May para avaliação do Parlamento.

May, que vem sendo constantemente criticada (inclusive por políticos pró-Brexit por adotar uma postura mais branda nas negociações), ainda sofreu outras reviravoltas essa semana visto que o rascunho do texto ainda é desaprovado por diversos representantes da classe política e até mesmo por membros do seu governo que anunciaram a renúncia do cargo por acreditarem que seu conteúdo não representa um Brexit tal qual eles defendem.

Apesar da turbulência frente aos recentes acontecimentos, esta não é a versão final do documento, já que outras questões ainda precisam ser debatidas.

Tribunal Internacional reconhece genocídio do Khmer Vermelho no Camboja

As Câmaras Extraordinárias das Cortes do Camboja, mais conhecido como Tribunal Internacional do Camboja, decidiu nesta semana condenar dois líderes ainda vivos (Khieu Sampan de 87 e Nuon Chea de 92 anos) do Khmer Vermelho (que governou o Camboja de 1975 a 1979) por genocídio e crimes contra a humanidade.

express
Fonte: Express

Durante a época que o regime esteve no poder, cerca de 1,7 milhão de pessoas morreram devido a execuções extra-judiciais, trabalhos forçados, fome e doenças. Entre as vítimas estavam vietnamitas, membros da comunidade mulçumana cham, além de outras minorias e críticos do governo.

O julgamento desta semana foi emblemático pelo fato de que o termo “genocídio” foi finalmente aplicado para o caso, depois de quase 40 anos do fim do regime. Apesar das críticas em torno do tribunal, visto que alguns membros do grupo continuam sem receber nenhuma punição, o feito desta semana também foi celebrado como um avanço na justiça cambojana.

Fontes:

https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/11/com-troca-de-foguetes-faixa-de-gaza-tem-maior-escalada-de-violencia-desde-2014.shtml

https://exame.abril.com.br/mundo/mnistro-de-defesa-de-israel-renuncia-apos-de-discordar-da-tregua-em-gaza/

https://www.aljazeera.com/news/2018/11/sri-lanka-supreme-court-overturns-dissolution-parliament-181113125340789.html

https://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2018/11/epoca-negocios-reino-unido-entenda-os-proximos-passos-para-o-acordo-do-brexit.html

https://www.bbc.com/news/world-asia-pacific-10684399

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/11/16/lideres-do-khmer-vermelho-sao-condenados-a-prisao-perpetua-por-genocidio.ghtml

Aconteceu em RI: 5ª semana de outubro

Atentado em sinagoga nos EUA

No sábado (27), um atirador identificado como Robert Bowers entrou na sinagoga Tree of Life da cidade de Pittsburgh (EUA) e atirou contra as pessoas ali enquanto gritava palavras de ódio dirigidas contra judeus. O atirador ainda entrou em confronto com um policial ao sair do local, mas se feriu e foi preso logo em seguida. Apesar disso, 11 pessoas acabaram morrendo devido ao incidente, incluindo uma mulher que era sobrevivente do Holocausto nazista.

US daily
Fonte: US Daily

O atentado está sendo investigado como crime de ódio pelo FBI e é considerado o pior ataque contra judeus na história dos EUA. Tal caso gerou grande repercussão tanto nacional quanto internacional assim como uma grande comoção atraindo o auxílio de doações individuais, organizações da comunidade judaica como a HIAS bem como as organizações mulçumano-americanas como a Celebrate Mercy e MPower Change.

Crise no Sri Lanka se torna violenta

A recente crise política que o Sri Lanka vem enfrentando desde que o presidente Maithripala Sirisena destituiu o então primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe e colocou no seu lugar o ex-presidente do país Mahinda Rajapaksa tomou rumos mais violentos no domingo (28), quando um dos apoiadores no ministro do petróleo (parte do então gabinete, e portanto, também destituído) tentou entrar em seu antigo escritório, o que gerou um confronto com membros do sindicato que apoiam a volta de Rajapaksa ao poder, resultando na morte de uma pessoa.

Sky news
Fonte: Sky News

Diversos países já sinalizaram sua preocupação com a atual crise no Sri Lanka como Índia e EUA, além da União Europeia e do secretário-geral da ONU António Guterres. Existe uma preocupação de que a suspensão do parlamento até 16 de novembro determinada pelo presidente seja prejudicial para a democracia no país bem como a substituição de Wickremesinghe  por Rajapaksa, figura mais aliada à China, evidencie os interesses deste país no Sri Lanka. A China, por sua vez, nega que tenha feito qualquer interferência na política interna cingalesa.

Ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza

A Faixa da Gaza tem recentemente passado novamente por um clima de instabilidade, tendo em vista os protestos organizados com o apoio dos comandantes do Hamas devido às condições de vida em que se encontram os palestinos na área, o que vem gerando frequentes confrontos com as forças israelenses nos últimos meses.

Middle east observer
Fonte: Middle East Observer

Nesta semana mais um episódio ocorreu quando um ataque aéreo israelense matou 3 adolescentes palestinos. O exército afirma que os jovens estavam se aproximando demais da cerca de segurança e que tinham explosivos. Além disso, também defende que as suas ações militares se justificam devido à ameaça de alguns dos manifestantes de quererem entrar em solo israelense armados ou de lançar mísseis contra seu território.

Já Hanan Ashrawi, um membro executivo da Autoridade Nacional Palestina, afirmou que as forças israelenses vêm deliberadamente atirando em crianças palestinas nesta nova onda de protestos, o que se caracteriza como crimes de guerra. Até o momento, mais de 200 palestinos foram mortos nos últimos sete meses de protestos.

Merkel anuncia saída gradativa do cenário político alemão

New York Post
Fonte: New York Post

Depois de que o partido de Angela Merkel (CDU) sofreu uma baixa significativa dos votos na região de Hessen durante as suas eleições regionais (embora ainda se mantenha à frente dos outros) e juntamente com o criticismo crescente ao desempenho da coligação governamental, Merkel anunciou na segunda (29) de que não concorrerá mais à presidência do seu partido quando este realizar sua convenção em dezembro. Além disso, anunciou também que não vai se candidatar a uma reeleição como chanceler da Alemanha e que permanecer no cargo apenas até o fim do seu mandato em 2021, saindo da vida política alemã depois disto.

Já havia suspeitas de que Merkel mais cedo ou mais tarde anunciaria sua saída da vida pública. Contudo, devido à nova conjuntura mundial e principalmente a ascensão de movimentos de extrema-direita e neonazistas tanto na Alemanha quanto em outras partes do continente europeu, aumenta-se as preocupações de qual rumo o país tomará depois da saída de Merkel.

Relatório da WWF traz conclusões preocupantes para a geração atual

Um relatório lançado esta semana pela organização WWF alertou para um cenário perigoso para a vida no planeta. De acordo com o que foi relatado, em apenas quatro décadas a população de vida selvagem no mundo caiu em torno de 60% devido a diversos fatores como poluição, desmatamento, mudanças climáticas e outras ações geradas pelos seres humanos.

World wild life
Fonte: World Wildlife Fund

Além disso, o relatório especificou que a região da América Latina e do Caribe foi uma das mais afetadas com uma queda de 89% no número de populações de vida animal, quando comparado a 1970.

Diante disto, a organizou afirmou que a geração atual está cada vez mais agredindo o meio ambiente, mas também ela será a última capaz de salvar a natureza de um desastre natural, visto que quanto mais tempo demorar, pior a situação irá ficar. Integrantes da WWF ainda defendem que à nível internacional seja criado um tratado aos moldes do Tratado do Clima de Paris focando-se na proteção da vida animal e em restrições à ação humana contra a natureza.

Fontes:

https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/10/atirador-deixa-varias-vitimas-em-sinagoga-nos-eua.shtml

https://oglobo.globo.com/mundo/muculmanos-levantam-fundos-para-vitimas-de-ataque-sinagoga-nos-eua-23193746

https://qz.com/1441014/how-to-help-victims-of-the-pittsburgh-synagogue-shooting/

https://www.independent.co.uk/news/world/middle-east/israel-drone-strike-kills-palestine-teenagers-gaza-strip-middle-east-airstrike-idf-a8606591.html

https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2018/10/28/interna_internacional,1000887/ataque-aereo-de-israel-mata-tres-garotos-na-faixa-de-gaza-segundo-med.shtml

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/10/29/merkel-abre-mao-da-presidencia-do-seu-partido-mas-quer-continuar-no-governo.ghtml

https://edition.cnn.com/2018/10/29/health/wwf-wildlife-population-report-intl/index.html